terça-feira, 30 de novembro de 2010

TRENDS- MODA LISBOA


video


Para esta estação Outono Inverno, fazemos um pequeno resumo das tendências nacionais convidado alguns criadores portugueses a falarem do processo criativo e inspiração das suas colecções.

Cabeleireiros e Make-up artists revelam os conceitos e ideias que os levaram a criar os seus looks.








ALEXANDRA MOURA:

Gosta de comunicar através da imagem.


TEMA/ INSPIRAÇÃO: “… DE CORPO E ALMA…”
… os nossos corpos,
… as nossas várias camadas,
… em tudo é assim,
… a fusão entre nós e a roupa protagoniza:
O nosso corpo é a alma da peça,
O corpo da peça é a nossa alma.
A junção de ambos cria uma imagem…comunica algo!!!

Que assim seja “de corpo e alma”!!

SILHUETA
É uma silhueta que se liga através de algumas contradições:
Esguia, estruturada
Larga/justa
Opaco/fusco

CORES
Tons pele. Preto

MATERIAIS
Algodão, algodão de alto acabamento, jersey, sarja de algodão/elastano com acabamento resinado, Hi Tech, Lã.







RICARDO PRETO:

Cria moda porque é o que gosta de fazer.


TEMA/ INSPIRAÇÃO: "GALAXIAN SOUK BAZAR"

Trata-se de uma figura feminina forte, decidida e sem receios. Esta mulher é o protótipo do bazar do futuro.

Fizémos um resumo da moda deste milénio. Fomos à busca dos métodos como se trabalharam os tecidos, os cortes dos mesmos, como foi executada a evolução que nos levou aos dias de hoje.
Pretendendo como resultado uma infusão do que já foi efectuado, arrojámos e acelerámos o processo que levou séculos sempre com o objectivo de atingir nesta estação uma sinopse da ascensão da moda.

Todo este processo veloz, mas meticuloso, nada mais traduz senão a época em que vivemos onde a pressa e a perfeição são a força motriz que nos acompanham em cada passo.

A silhueta é então formada pelo conjunto das tradições e formas que temos visto até hoje.

No entanto, os materiais futuristas agora minuciosamente escolhidos vão criar na mulher o desejo de mudança. Os tecidos são desde o marrocan de seda, ao jersey, a caxemira, etc.

Todas as cores iluminam esta figura como os azuis, pretos, cinzas, encarnados, laranjas e castanhos.







ALVES/GONÇALVES:

Segundo Manuel Alves, a moda reparte-se por um todo. A moda passa por dialogar com as pessoas, dando a visão e pontos de vista dos criadores sobre a vida, sobre o mundo, porque o vestuário reflecte o tempo em que se vive.








LUÍS BUCHINHO:

Cria moda porque é um desafio no dia-a-dia. Há uma procura pelo novo, uma pesquisa sobre aquilo que pode vir a ser surpreendente e há um trabalho extremamente envolvente pelo qual se sente grato.


TEMA/ INSPIRAÇÃO:

A colecção Outono-Inverno 2010/11 será atravessada pela tónica comemorativa dos meus vinte anos de carreira. Esta celebração terá continuidade em vários eventos organizados ao longo do ano. Um primeiro momento a assinalar este marco terá lugar no desfile que aqui se anuncia. Aí acontecerá o lançamento de uma linha completa de acessórios – onde se incluem sapatos, malas, cintos e pulseiras - , bem como a apresentação da mini colecção “Luís Buchinho Special Edition” – uma novidade, constituída por um núcleo de peças exclusivas, reedições de clássicos e modelos executados em materiais particulares.

SILHUETA:

Na colecção de Inverno 2010/2011 são sentidos os ecos de uma certa excentricidade enraizada nos anos 70, mas aqui revistos pelo rigor minimal e andrógino dos anos 90.

A silhueta, longa e estreita, é trabalhada em linhas I ou Y invertido. Daqui resulta que, como peças-chave, se insurjam as calças sino, os vestidos drapeados em versões mini e falso longo, ou os casacos sem mangas.


CORES:

A paleta de cores assume um carácter denso, repleto de falsos negros como o chocolate negro, o petróleo, o chumbo, o azeitona, e muito, muito preto.

Esta densidade é sublinhada por materiais como o couro e as lãs compactas, ou pelo seu contraponto em rendas delicadas e mousselines com lurex.

MATERIAIS:

Às linhas gerais da colecção acresce a inclusão de pormenores que a enriquecem em complexidade formal e textural, com detalhes em cabedal e/ou renda, pele plissada e foil localizado.






ALEKSANDAR PROTIC:

Antes de entrar para a academia de Belas Artes em Belgrado gostaria de ser seguido pintura. Mas não lhe chegou ser pintor ou desenhar num quadro. Encontrou a moda como uma arte "que anda" e que pode ser vestível.


INSPIRAÇÃO:

A sua colecção é inspirada no trabalho e vida da artista Georgia O`Keeffe e em elementos básicos da natureza como carvão e ouro.

MATERIAIS:
Sedas, lã, algodão, cabedal

CORES:
Preto, dourado







PEDRO PEDRO:

Para ele a Moda baseia-se no fascínio que qualquer criativo tem em poder expressar a sua criatividade. Imaginar uma mulher que existe na cabeça dele- motivação.


TEMA/ INSPIRAÇÃO:"TOUT VA BIEN"

Uma colecção urbana, feminina, jovem e nostálgica qb. Peças daywear que misturam motivos de inspiração Black Power com cortes minimalistas. Elementos High School que se emancipam em peças irreverentes, sexy e descontraídas. Ecletismo de materiais: da lã natural ao PVC. Propostas de moda regidas pela palavra de ordem: “Soyez realistes, demandez l’impossible!”


FORMAS:

Linhas trapézio de inspiração anos 70. Vestidos de cintura subida. Casacos e capas evasé sem gola e com bolsos de chapa. Calças justas de cintura marcada. Conjugação do curto e do comprido e do justo e do largo. O corte despojado das peças alia-se à profusão de elementos decorativos: fitas do próprio tecido ou aplicações em pele e/ou pêlo que criam volumetrias.


MATERIAIS:
Predominam as lãs grossas, caneladas, os PVC e os cupros. Estampados de inspiração animal que criam um aspecto “sujo” ou camuflado.


CORES:
Tons terra, naturais, que vão dos beges quentes ao mostarda, passando pelo verde seco e castanho caqui. Preto, branco e cinza.






DINO ALVES:

Gosta de usar a roupa, os corpos e o styling para contar histórias. Cria conceitos e imagens impressionantes, hilariantes e cómicas.


TEMA/ INSPIRAÇÃO:"HE, SHE AND ME"
He, She and Me tem como inspiração principal o guarda-fatos estritamente masculino, na sua vertente mais formal. É uma colecção baseada na roupa clássica de homem, como fatos, blazers, camisas, calças, pegando em detalhes como colarinhos, punhos, lapelas, gravatas, etc., e em materiais e formas do universo masculino. Daí surgem peças femininas e/ou unissexo.

A transformação do masculino em feminino leva-nos também a criar, a partir de ideias formais e austeras, roupas mais divertidas, exuberantes e vanguardistas.

Uma das influências estéticas fortes é a do universo do teatro kabuki japonês, originário do início do século XVII, cujas danças sensuais faziam uma crítica a temas religiosos. No kabuki, os únicos intérpretes eram homens travestidos.

A colecção terá, por isso, um aspecto e um espírito dramático, que se manifesta através de formas e detalhes exagerados e cores sombrias e marcantes.

MATERIAIS
Pele, lã com poliéster, seda, viscose, algodão, organza de seda, satin.

CORES
Preto, branco, cinzas, azul, verde-escuro, cor de vinho, rosa pálido, amarelo.

SILHUETA
Austera e rígida, com volumes femininos e, em simultâneo, muito geométrica e formal.

“STYLING”
Feminino/masculino, com uma dose de drama. Estética ligeiramente nipónica, retirada do teatro kabuki.

ACESSÓRIOS
Colares, gargantilhas, cintos.




Nenhum comentário: